ACESSIBILIDADE MAPA DO SITE ALTO CONTRASTE TAMANHO DA FONTE:
  • A+
  • A
  • A-

POSTADO EM 14 fev 2022 · Saúde

BALANÇO SAÚDE 2021: CENTRAL DE REGULAÇÃO MARCA MAIS DE 36 MIL CONSULTAS E QUASE MIL CIRURGIAS ELETIVAS EM ITUMBIARA

O Complexo Regulador de Itumbiara, também chamado de Central de Regulação, fez a marcação de 36.182 consultas e 903 cirurgias eletivas em 2021. Esta reportagem faz parte de uma série sobe os balanços das diversas áreas da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) no primeiro ano da gestão do prefeito Dione Araújo.
As 36.182 consultas totalizam o valor de R$ 1.235.602,46. As 903 cirurgias eletivas incluem 547 procedimentos feitos no Hospital Municipal Modesto de Carvalho, em Itumbiara, sendo 288 de catarata e 259 de outras áreas. Somente em um dia, 20 de dezembro, foram realizadas 116 cirurgias de catarata. As demais cirurgias de catarata foram feitas em Trindade.
No primeiro semestre do ano passado, o Complexo Regulador foi transferido, junto com a parte administrativa da SMS, para o prédio do Senac, no Bairro Dona Ernestina Borges de Andrade. A mudança, de acordo com a equipe da Regulação, trouxe mais comodidade nos atendimentos à população, que são feitos de segunda a sexta-feira, das 8 às 12 horas e das 14 às 17 horas.
Os profissionais da Regulação também são responsáveis pelos agendamentos de tratamento e transporte de pacientes com câncer para o Hospital do Amor, em Barretos e Jales, no interior de São Paulo, e o Hospital Araújo Jorge, em Goiânia.
O prefeito de Itumbiara, Dione Araújo, o secretário de Saúde, Guilherme Davi, e o diretor do Complexo Regulador, Guilherme Machado, dizem que a regulação de vagas para consultas, exames, internações e demais procedimentos é “uma importante ferramenta de gestão em saúde pública”. Eles destacam que essa regulação “não é só o cumprimento das leis de atenção aos cidadãos, como também controla a qualidade dos serviços, impedindo fraudes e estabelecendo padrões mínimos de atendimento”. Os três frisam que “o objetivo principal é unir as ações voltadas para regular o acesso dos moradores nas áreas hospitalar e ambulatorial, propiciando o ajuste da oferta disponível às necessidades imediatas da população”.
TEXTO: DIONI RIBEIRO / DECOM
FOTOS: ROBSON HENRIQUE / DECOM