ACESSIBILIDADE MAPA DO SITE ALTO CONTRASTE TAMANHO DA FONTE:
  • A+
  • A
  • A-

POSTADO EM 28 abr 2021 · Entrevista

PREFEITO FALA, EM ENTREVISTA, SOBRE OS IMPACTOS DA PANDEMIA EM ITUMBIARA

O prefeito de Itumbiara, Dione Araújo, concedeu na tarde desta terça-feira, dia 27 de abril, entrevista ao vivo à equipe do jornal “O Popular”. A entrevista, transmitida pelas redes sociais do jornal, foi conduzida pela jornalista Lúcia Monteiro, da editoria de Economia. Dione abordou os impacots da pandemia do coronavírus na área de saúde e no setor econômico de Itumbiara.
CORONAVÍRUS HOJE
Na entrevista, Dione Araújo explicou que até o dia 15 de abril houve um crescente número de casos e de mortes de Covid-19 em Itumbiara. Até agora, em abril, são 80 mortes, enquanto que em todo o mês de março foram 61 óbitos. Mas o prefeito ressaltou que, de 15 de abril, houve uma redução nos números referentes à doença no município.
Para o prefeito, as medidas restritivas têm surtido efeito na diminuição nos registros de casos e de mortes por Covid-19 na cidade.
BUSCA DEMORADA
Dione Araújo atribuiu o aumento no número de casos e mortes na primeira quinzena de abril ao fato de muitas pessoas demorarem a procurar atendimento na rede pública ou particular de saúde. Para ele, se procurassem de imediato, nos primeiros sintomas, talvez não se chegasse a óbito.
Também alertou que as pessoas devem ter cuidados quando estiverem juntas em casa e usarem máscara. Lembrou que há relatos de cinco a seis membros de uma mesma família, todos com Covid-19, o que poderia ser evitado.
AS MEDIDAS
Durante a entrevista, Dione destacou que uma parte do comércio de Itumbiara fecha às 17 horas e os demais, como supermercados, às 20 horas. Também frisou a fiscalização com o fechamento de festas clandestinas, principalmente nos fins de semana. Medidas para evitar o contágio do coronavírus.
INVESTIMENTOS
Dione também detalhou os investimentos na área de saúde para atender pacientes com coronavírus. Como a transformação da UPA em central de Covid-19 e a implantação, no Hospital Municipal, de leitos de UTIs e de salas de ventilação não invasiva. “Não faltou atendimento a ninguém”, frisou.