ACESSIBILIDADE MAPA DO SITE ALTO CONTRASTE TAMANHO DA FONTE:
  • A+
  • A
  • A-

POSTADO EM 26 jan 2022 · Outros

O ESTÍMULO À PRODUÇÃO CULTURAL EM ITUMBIARA SERÁ DEBATIDO NA REVISÃO DO PLANO DIRETOR NESTA QUINTA DE MANHÃ

O estímulo à produção cultural em Itumbiara será debatido na reunião temática e setorial de revisão do Plano Diretor da cidade nesta quinta-feira, dia 27 de janeiro, de manhã, às 9 horas. A reunião será de forma totalmente virtual, por causa de novos casos de Covid-19. O link é pela plataforma Zoom, https://us02web.zoom.us/j/87965719336.
O Plano Diretor é revisto pelos participantes do CONDUR, o Conselho Municipal de Desenvolvimento Urbano, junto com a Prefeitura / Secretaria de Planejamento e a organização não-governamental ARCA (Associação para Recuperação e Conservação do Ambiente), de Goiânia. A ARCA foi contratada para prestar assessoria técnica nesta revisão.
Depois das reuniões setoriais, serão realizadas, a partir de março deste ano, as audiências públicas. Com base no levantamento de observações, sugestões e reivindicações da população, será elaborado, pela Prefeitura, um projeto de lei, com a proposta do novo Plano Diretor, a ser votado pelos vereadores na Câmara Municipal. O último Plano Diretor de Itumbiara é de 2006 e deveria ter sido revisto em 2015.
SIM À CULTURA
O secretário de Planejamento e presidente do CONDUR, Wender Borges de Oliveira, o Wender Garrote, o diretor de projetos da ARCA, Gerson de Souza Arrais Neto, a secretária de Educação, Silvana Fernandes Matos Macedo, e o diretor de Cultura, Ronimárcio dos Santos, destacam que é essencial a participação de artistas e agentes culturais de Itumbiara nesta reunião do Plano Diretor. De acordo com Ronimárcio, a Prefeitura tem feito diversas ações para estimular e valorizar a produção cultural na cidade, em áreas como artesanato, artes visuais, audiovisual, cultura popular, circo, dança, gastronomia, literatura, teatro e música.
“Para que as reivindicações da área cultural tenham visibilidade, é preciso a presença dos artistas e agentes culturais, além de representantes do Poder Público e da sociedade civil”, frisa Ronimárcio.