ACESSIBILIDADE MAPA DO SITE ALTO CONTRASTE TAMANHO DA FONTE:
  • A+
  • A
  • A-

POSTADO EM 04 jan 2022 · Outros

COM APROXIMADAMENTE R$ 100 MILHÕES DO GOVERNO DE GOIÁS, SÃO MARCOS PASSA A SER HOSPITAL GERAL

Nesta semana, o Hospital Estadual de Itumbiara São Marcos deixa de ser hospital de campanha de Covid-19 e passa a atuar como hospital geral, com atendimentos de média complexidade para pacientes de sul goiano e também de outras regiões do estado. Nesta segunda-feira, dia 3 de janeiro, o secretário de Estado de Saúde, Ismael Alexandrino, fez uma visita técnica à unidade e se reuniu com o prefeito de Itumbiara, Dione Araújo, o deputado estadual Álvaro Guimarães, profissionais de saúde e gestores da nova OS (organização social) que administra a unidade, IBGC, o Instituto Brasileiro de Gestão Compartilhada.
Dione e Álvaro destacaram o esforço feito junto ao governador Ronaldo Caiado, em 2020, no início da pandemia do coronavírus, para que o Governo Estadual assumisse o São Marcos. O hospital, antes particular, passou por dificuldades financeiras e entrou em recuperação judicial. Em julho de 2020, a unidade, já estadualizada, foi transformada em HCamp, para atendimento exclusivo à Covid-19. Em dois e seis meses de atuação só para Covid, foram atendidos mais de 3.500 pacientes, chegando a ter 50 leitos de UTI e 70 de enfermaria com ocupação total.
O prefeito Dione agradeceu, ao lado do deputado Álvaro, a ação de Ronaldo Caiado e Ismael Alexandrino para o São Marcos ser primeiro HCamp e, daqui para frente, unidade com esses atendimentos de média complexidade. Do início da estadualização até o momento, o Governo de Goiás investiu aproximadamente R$ 100 milhões, em obras, equipamentos e custeio. “Investimentos na saúde da nossa população”, frisou Dione.
Com a diminuição dos casos de coronavírus, a partir de agora o São Marcos atenderá, com ambulatório e internações, nas áreas de cirurgia geral, cirurgia vascular, buco-maxilo-facial, neurologia, otorrinolaringologia e cardiologia. E em breve, também traumatologia e ortopedia. Até o fim de janeiro, serão 20 leitos de UTI e 54 de enfermaria, mais centro cirúrgico já reformado. Também estão previstas futuramente cirurgias eletivas.
TEXTO: DIONI RIBEIRO / DECOM
FOTOS: BRITTO / Secretaria de Estado de Saúde